Notícias

Imprimir | Enviar para um amigo

Mais uma morte em Porto Seguro

Mais um caso fatal. Hospital LEM divulga nota de esclarecimento


A paciente L.P.S.M. foi atendida na noite da segunda-feira, 4 de outubro no Hospital de Porto Seguro “Deputado Luís Eduardo Magalhães” – HLEM. Ela apresentava febre, dor de cabeça e relato de um vômito. A médica plantonista examinou, mas a paciente não apresentava naquele momento, nenhum sintoma que caracterizasse suspeita de meningite meningocócica.

A paciente foi medicada (e não vomitou durante a medicação). A febre diminuiu e a dor de cabeça passou. A menor ainda apresentava celulite (infecção de pele) em torno do umbigo - que poderia ser o foco de seus sintomas -, mas não estava com secreção purulenta.

Em todos os hospitais, o atendimento é feito de acordo com a necessidade do paciente. A criança, depois de ter a febre e dor de cabeça cessadas, não teria sintomas suficientes para uma internação, por isso recebeu alta.

Como está na primeira nota enviada aos meios de comunicação. No outro dia (5/10), a paciente L.P.S.M., de 10 anos, deu entrada no Hospital de Porto Seguro “Deputado Luís Eduardo Magalhães”, às 10h40, e foi nesse momento que apresentou sintomas de meningite meningocócica.

Ela realizou exames físicos pela médica plantonista e estava procedendo nos exames laboratoriais, quando durante o posicionamento da menor para a coleta do líquor, ela apresentou um episódio de vômito, evoluindo para parada cardíaca. Foram realizadas manobras de ressuscitação cardiopulmonar, mas a paciente não resistiu e foi ao óbito às 12h35.

O líquor foi colhido depois do óbito e confirmou a presença de meningite meningocócica.

Outras pacientes

Desde sexta-feira, primeiro de outubro, uma prima desta paciente deu entrada no hospital, também com suspeita de meningite meningocócica. No entanto, o líquor foi colhido no mesmo dia (1º/10) e o resultado da coleta do líquor para exame foi negativo. Também foi coletado material para hemocultura para averiguação se a paciente teve meningoccemia e, após 10 dias de antibiótico, provavelmente terá alta hospitalar. Ela continua internada, está estável e esperando alta.

A outra paciente A.S.S. deu entrada no dia 5 de outubro. O líquor foi colhido no mesmo dia e o resultado da coleta do líquor para exame foi negativo. Também foi coletado material para hemocultura para averiguação se a paciente teve meningoccemia. A paciente passará por tratamento com antibiótico. Ela está estável e continua internada.

Obs.: É importante registrar que quanto mais informações são passadas ao médico, maior facilidade ele terá de avaliar o paciente. Se você tiver alguém da família ou um amigo que teve contato e que está internado, recentemente, acometido por alguma doença, o médico deve ser informado.

Assessoria de Comunicação
Cristóvão Moura

Ver outras notícias











Publicidade